quinta-feira, março 01, 2007

Tá lá!

"BARBUDOS CRETINOS e suas histórias canalhas" está no ar:

CLIQUE AQUI

confira e boa leitura!



No site do Portal Literal tem uma matéria com entrevista feita pelo Bruno Dorigatti sobre meus folhetins pulp e o novo romance "A Guerra dos Bastardos"

LEIA AQUI.


*That´s all folks*

5 comentários:

Diogo Costa disse...

Gostei do novo folhetim; Erasmo Wagner... De onde veio esse excelente nome? É primo de Erasmo Carlos e Richard Wagner, rs?
Edgar Wilson tá na cara de quem é parente.

Abração,

Diogo.

ana paula maia disse...

Oi Diogo, divulga o link do folhetim por aí.

abçs!

Diogo Costa disse...

Beleza, já havia postado no Cronópios desde cedo, e deu pano pra mangas rs; mangas doces, só bons papos.

Rolou um papo no Café Literário devido uma provocação (muito pertinente, por sinal) sobre uma crônica de um escritor; fala-se sobre mercadores, mercado literário e etc, a realidade mesmo. Está lá: "Amigo Daniel
Tranquilo, em parte concordo; e também me peguei no texto de Aloise. Sobrevivo de bolsas; bolsa-auxílio de CNPQ´S, enquanto puder. E respeito sua opinião, cara. Nessa minha vida, tenho amigos, todos gratuitos. Divido, poucas vezes por aqui, algum texto - que acho interessante, tal como esse de Ana, que considero uma Tarantino mulher. Separados, então; não levo jeito pra vender, sou anti-social pra caramba, nem faço trabalho em grupo; talvez eu seja autoritário demais. Como eu disse, todos meus amigos são gratuitos. Há muitos escravos de Platão por aí, com toda certeza rsss. Forte abraço cara. (postado por Diogo Costa em 3/3/2007)".

E o Daniel é muito boa-gente, um historiador de bom gosto.

É isso.

Abraço,

Diogo.

ana paula maia disse...

Diogo, discutir mercado literário é como barganhar bananas com feirantes portugueses: nunca rola um desconto. Não dá em nada.
haha.

Só não entendi como meu folhetim entrou nisso tudo. hahahahahahaha.

Diogo Costa disse...

Pois é, eu também não entendi... Após eu postar um trecho do Folhetim no Café Lit, foi levantado algumas questões; verdadeiras sim, mas, sem sentido quanto ao objeto e sujeitos... rssss Mas, tudo esclarecido (acho). rsss
Abraço.