sexta-feira, janeiro 30, 2009

*À noite a lua vem da Ásia, mas pode não vir, o que demonstra que nem tudo neste mundo é perfeito.

Depois de postar rótulos de catuaba para encher linguiça (já sem o trema, notou?).... decidi escrever. Ando lendo, rabiscando, assistindo a filmes, e Loooooooooooooooossst que acabou estrear a quinta temporada. Lost continua sendo bom demais e continuamente escalando um homem lindo. Agora é o personagem Richard Alpert. Incrível aquele homem. Ai, como é bom ver coisa bonita. Fico aqui suspirando e roendo as unhas.

Mas deixando este momento afetado, afinal, além de usar uma faca na bota como diz minha amiga Manu, eu também sou uma moça sonhadora. Eu acertei as contas com o meu passado. Acertei tudinho.
Assisti ao clássico de John Huston O tesouro de Sierra Madre e como fiquei feliz por nunca ter assistido antes. Que maravilha!!!!! Que desbunde! (nunca uso esta expressão mas me pareceu afetada na medida)

Juro que ao lado de Era uma vez no Oeste, este filme me fez compreender o que é o cinema. O que é uma grande história. Me comoveu. Me fez querer matar de emoção. Sim, matar. Matei um inseto bem pequeno e voador, uma espécie de formiga de asas. Era tudo o que tinha ao redor.

Bem, e para ler tenho saboreado Campos de Carvalho. Olha, vou dizer que ao lado de John Huston, Campos de Carvalho me foi como uma outra grande descoberta. Tenho seus quatro romances novinhos em folha na minha cabeceira.

Estou lendo simultaneamente: A lua vem da Ásia e Chuva imóvel. Em seguido avanço com os outros dois.

Um trecho de A lua vem da Ásia diz:

"As flores têm o perfume que a terra lhes dá sem ser perumada. Assim, também nós devemos dar a nossos atos aquilo que não trazemos em nós mas de que somos realmente capazes, e que não morrerá com a nossa morte".

Sinceramente foi uma das melhores coisas que já li e isso de fato me atingiu na testa feito um pedaço de telha numa ventania. Porque é nisso que eu acredito, ora bolas!!! E põe bolas nisso! Afinal, o perfume do que eu escrevo, penso eu, vem justamente daquilo que eu não tenho, mas é criado com a química entre mim, as palavras e a imaginação.

Sei que ainda cheiro estranho para alguns. Dizem: "Ah, aquela escritora escreve sobre violência, uns tipos casca-grossas, uma coisa meio pesada..." e aí já dão todo o trabalho por julgado.
É preciso cavar mais fundo esse buraco, para entender que é da lama e do barro que as rosas ganham perfume E enquanto cavo o buraco, vez ou outra, seco o suor e olho para a lua... mesmo que não venha da Ásia.


[*A lua vem da Ásia - Campos de Carvalho]


*That´s all folks"


5 comentários:

Manoela Sawitzki disse...

Bonita, tá arretado esse teu blog! Você some, sim, mas não dorme em serviço...

"Assim, também nós devemos dar a nossos atos aquilo que não trazemos em nós mas de que somos realmente capazes, e que não morrerá com a nossa morte".

O caco de telhado quicou na tua testa e veio parar na minha...

besitos...

ana paula disse...

Pois é Manu, sou como os pistoleiros que vagam solitários, mas sempre em busca de alguma "verdade"
Vou lá longe e trago para dividir com os outros.
;)

um beijão.

Anônimo disse...

Você já assitiu "Os Desajustados", também do John Huston? É com a Marilyn Monroe, Clark Gable, Montgomery Cliff. Pra cortar os pulsos!

E "Uma aventura na África", também do Huston? Demais de bom!

Agora tem "Coração de Caçador" do Clint Eastwood que interpreta o John Huston nas filmagens de "Uma aventura na África". De arrebentar!

De Kelby disse...

De fato, John Huston é dos melhores! Um pouco desprezado, é verdade. Porém o que isso importa, de quantos se pode dizer que deixou uma Obra? Tirando duas ou tres clamorosas escorregadelas, o filme "A bíblia" sendo a maior delas, ele nos legou uma obra consistente, empolgante, bonita de se ver. Possivelmente O tesouro de Sierra Madre sendo o mais completo exemplar. Mas tem tantos outros bons exemplos! Não deixe de procurar. Aliás, recente li o extraordinário romance À sombra do vulcão, adaptado por ele. Duas faces de uma notável moeda, livro e filme! Romance da decadencia, da morte, do niilismo poético! Frases por vezes tão ébrias é líricas que se tornam inesquecíveis. Na verdade pensei que voce pudesse adorar o livro, ainda que não te conheça bem, apenas aqui do blog mesmo. Não costumo indicar livro pra não parecer pedante nem chato, mas às vezes isso é inevitável. A lp&m relançou um pocket baratinho desse romance. depois baixe o filme na internet, pois não existe em dvd no Brasil, e deleite-se com a estupenda interpretação do inglês Albert Finney! E boa viagem...!

ana paula disse...

Oi Kelby, obrigada pelas dicas. Gostei delas e vou procurar pelos livros e filmes.

E valeu anônimo pelas dicas também.