quarta-feira, agosto 04, 2010

polegadas e horizontes.

Suspendi os olhos acima da tela do computador. O que vi não era o mar, uma paisagem verde, ou a cidade em movimento; era apenas a parede amarelo do quarto. Voltei com os olhos para a tela branca e de me dei conta de que o meu horizonte eu mesma deveria criar com um punhado de parágrafos e teria de fazer as imagens e sensações saltarem deles. Neste breve instante acho que percebi uma das principais razões para fazer literatura: a necessidade de ter um horizonte entre quatro paredes, de fazer caber todo um mundo em quatorze polegadas.

(Mulher na Janela - Salvador Dali)

*That´s all folks*

Um comentário:

A Mina do cara! disse...

Vai ver que precisamos é disso mesmo, criar uma realidade enquanto estamos diante de uma tela e uma parede em branco...