segunda-feira, abril 25, 2011

O barulho da chuva.

Não durmo com o barulho da chuva. E isso me faz rolar na cama até me levantar. Faz tempo que não ouço música na madrugada. Música francesa. Depois de assistir a um filme de terror sobrenatural, em que confundia os relâmpagos refletidos na minha janela com os flashs assombrados do filme, comi algumas uvas.
Esses relâmpagos, por fim, até ajudou a tornar o terror mais horriplante, mas a única coisa que realmente me assombrava era pensar no cesto de roupas sujas abarrotado no banheiro. A máquina de lavar quebrou e enquanto aguardo a peça nova chegar sabe-se lá de onde, preciso analisar bem o que vestir, o que sujar, e por aí vai... não sei quanto tempo dura o meu guarda-roupas.

Gosto da chuva. Do cheiro, principalmente. Do dia seguinte, com uma manhã úmida, orvalhada e com o ar limpo. Mas do barulho, eu não gosto. Gosto do eco do silêncio para embalar meu sono... meu sono tranquilo.

*That´s all folks*

2 comentários:

Rosangela disse...

O silêncio é tudo!
Antes gostava de dormir ouvindo música clássica... Que tola! Ainda não conhecia o valor do silêncio.
Tenho pavor de trovões. rsrsr

Ana Paula, sucesso com o livro, logo estarei lendo com muito prazer!
Bjks!

A Mina do cara! disse...

Eu também gosto de chuva, do cheiro e do barulho. Minha avó gosta de olhar pela janela as enxurradas.