terça-feira, novembro 28, 2006

Cultural ou reciclável? Ao menos do porco tudo se aproveita.

Boas novas para 2007! O mercado de atores abre novas vagas. Como morreu gente, hein? Agora tem vaga para comediante, cafajeste, senhores galãs... até big brother morreu. Uma festa na funerária. Uma porra de egos no céu e no inferno. Apesar de achar que foi todo mundo pro inferno mesmo. Ator tem um ego da porra. Anda ao lado de um e perceberá. Chega a ser ridículo. Mas tenho um amigo ator, que está em Páginas da Vida e não sofre desse mal. Rara exceção. Ao menos do meu lado.
Enfim, morrer popularizou-se. Uma festa na mídia. Toda semana acompanho um funeral. Deixo a TV ligada e enquanto circulo pela casa, o cortejo prossegue na TV.
Tarciso Meira voltou para a novela. Que merda de novela. Se não fosse pela Lilian Cabral, a Marta Malvada, eu nem passaria perto. Sim, gosto de lixo cultural. É hilário. Podre. Mas porra, eu como fast-food. Então o que é uma novelazinha besta? Faz nem carinho. Acompanhar o declínio das novelas é hilário. Os atores pioram, as discussões são imbecis e eu preferia acompanhar a rotina da minha manicure a teledramaturgia. OK, assumo: Eu assistia ao programa Sabá Show. É verdade. Mas eu compenso com Buñuel e Dostoiévisk... vale? Acho que sim. Mas dá dinheiro, quero dizer que lixo dá dinheiro. Seja o cultural ou o dos latões nas esquinas. Nos aterros sanitários, muitos vivem do que jogamos fora. A indústria da reciclagem cresce sem parar. Querendo uma graninha? Lixo, meu amigo. Cultural ou reciclável. Uma beleza.
Imagine o seguinte: Você passa o dia inteiro na rua. Vai ao banco, supermercado, resolve burocracias, filas e ônibus. Está fazendo 38 graus. Seu almoço foi um salgado + refresco por R$ 1,20, e você não pôde ir ao banheiro. Você está péssimo. Respirou toda a poluição da cidade, aquela fumaça preta dos escapamentos dos carros, principalmente daquela Brasília que insiste em ser dirigida e deixa o rastro preto pra trás. Nem efeitos de filme de faroeste consegue algo tão denso. OK. Você chega em casa. Toma um demorado banho da cabeça aos pés. Veste roupas limpas, escova os dentes, assoa o nariz, bebe bastante água e toma uma sopa cremosa, tudo isso embalado num ambiente com ar condicionado. Entendeu?
É isso que acontece em relação ao consumo de lixo cultural versus cultura de qualidade.
*
__ Vocês comeram duas promoções. Vão querer trepar?
__ Quem trepa num calor desses? Pode substituir a boceta por um sorvete daqueles? __ pergunta apontando para o freezer.
__ Eu preciso falar com a dona do estabelecimento. Vocês têm certeza disso?
__ Absoluta.

Ao atravessar a porta do restaurante, a lufada quente e seca amolece o sorvete de ambos. São potes de meio quilo sabor napolitano. Apoiam-se num parapeito e apreciam a sobremesa.

__ Trocaria até três bocetas por isso__ diz um para o outro __ Quem fode nesse calor?
__ Só os porcos.
[Trecho de "Entre rinhas de cachorros e porcos abatidos"]
Ô pessoal, ainda tenho exemplares do Habitante das Falhas Subterrâneas para vender. Aproveitem o natal aí... vocês comerão porco prensado, um saboroso tender e depois descansarão na rede lendo um livro.
*That´s all folks*

Um comentário:

fernando disse...

mnuito bom!!!!!!!!