domingo, dezembro 03, 2006

Keep going...

Tenho novos filmes para assistir, entre eles Faster Pussycat Kill! Kill!. Um vazamento no banheiro para arrumar. Um punhado de livros para ler e outro punhado de parágrafos para escrever. Preciso aparar a ponta dos cabelos, arrancar o resto de esmalte das unhas e comprar absorventes. Tudo bem rotineiro. Seguindo o fluxo. Fluxo sanguíneo, fluxo temporal. Às vezes imagino que a vida são breves intervalos da morte. Hoje faço aniversário. Mais um ano. Mais um intervalo. Escapei mais uma vez.


Não comemoro com bebidas e danças. Acho a maioria das celebrações uma perda de tempo. Celebro intimamente o que quer que seja. Não preciso gritar nada para o mundo. Não preciso que me escutem, pois não anseio por seus conselhos e opiniões. Não sou arrogante ou desprezível como alguns de meus personagens. Não me reinvento para escrever, publicar, causar burburinho ou coisa que o valha. Sigo desviando-me da morte. Esperando escapar mais uma vez. Só isso. E isso já é muito.
Não tolero essa conversa de que “só me arrependo do que não fiz”. Quem disse isto já estava com a alma no abismo. Graças por não ter dado na cara do professor, esfaqueado meu irmão, chutado o cachorro fedido, trepado sem camisinha, roubado o CD na loja de conveniência, por não ter aceitado aquela carona, enchido a cara e vomitado na minha roupa nova, cheirado a primeira carreira de cocaína. Graças pelos nãos. Se não fosse por essa simples palavra que muitos acham negativa, talvez eu não estivesse aqui. Continuo desviando-me da morte. Esperando escapar mais uma vez.
*That´s all folks*

5 comentários:

fernando disse...

Segue em frente Ana!!
Corre o fluxo e vai embora.
abraço.

Diogo Costa disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Diogo Costa disse...

À musa venal, vamos desviando, Ana. Parabéns.E mudando de assunto, hoje, descobri que para ser Fuzileiro Naval no Brasil é preciso ter 20 dentes, no mínimo. Dez em cada arcada. Não se admite dentadura.

Isso é ficção? Um filme de Kubrick? É um persongem seu, Ana?

Não é não.

Somos tratados como cavalos. Veja em: http://www.overmundo.com.br/overblog/sala_edicao.php?em_edicao=2648

Leia e se divirta com a "genialidade".
O texto talvez já esteja na fila de votação do "overmundo".

Abraço.

Diogo Costa disse...

Mudaram o endereço lá, agora é essa, pois já foi publicado.

http://www.overmundo.com.br/ov
erblog/nascidos-para-sorrir-co
ncurso-exige-20-dentes

Abraço.

ana paula maia disse...

Diogo, li o artigo. Me lembrou um conto que escrevi chamado "32 dentes"