sexta-feira, janeiro 19, 2007

"Desnudarmo-nos é pouco, há que mostrar as vísceras"


"Por dentro do meu corpo, onde é possível separar do sangue os vários órgãos, a quem destes o contemple é dado vê-lo embravecer contra as vitrines."
*

"(...) Só num espelho assim saído há pouco das entranhas dum ser vivo se desenha a nossa verdadeira imagem (...) A luz que das vísceras emana é a de deus, aquela que, por uma excessiva dose de trevas misturada, mais do que qualquer outra se aproxima de deus, que resplandece nas carcaças em costelas onde é fácil pressentir as incipientes asas de algum anjo".

[*Luís Miguel Nava]

*

Os dois fragmentos são do poeta Luís Miguel Nava. Foi me contada sua história e me encantei por seus versos. Pra quem gosta de matar porcos e comer carne mal passada, é uma ótima literatura recomendada.

*ilustração Mark Ryden

*That´s all folks*

Um comentário:

fernando disse...

texto du caralho e ilustração mais ainda....
abraços blues!!!!