sexta-feira, dezembro 21, 2007

Como capturar um porco arredio para sua ceia e Boas Festas.


Meu fígado aceitou bem um tratamento fitoterápico que ministrei à força sobre ele e agora está pacífico, aceitando até carne de bode.

Porém....

Tive um sonho noite passada. A história se desenrolava em minha casa, porém estava diferente. Maior e com mais cômodos. Não me lembro do que sonhei antes disso que vou relatar, mas foi uma das coisas mais assombrosas que sonhei.

Eu estava dormindo em minha cama. Acordei e dei uma volta pela casa. Fui até a cozinha, perambulei um pouco, ainda sonolenta, mas sentindo uma sensação muito estranha. Extremamente incômoda. Olhei para um quadro na parede da sala e ele estava pendurado de cabeça para baixo. Olhei os outros que também estavam na sala, e todos de cabeça para baixo, invertidos.

Meu coração acelerou tanto que senti uma pequena vertigem. Fui para os outros cômodos, pois todos têm quadros pendurados. Todos os quadros da casa estavam pendurados de cabeça para baixo.

Eu acordei do sonho. Me levantei. Andei por toda casa verificando cada quadro, cada imagem. Estão todos no lugar, mas juro que durante todo este dia, encaro vários vezes os quadros nas paredes com o imenso temor de algum estar invertido.

Não é um belo sonho para se ter às vésperas de Natal. Mas é aquilo.... neste fim de ano tenho tido muito pesadelos, mas nenhum foi tão real e estranho quanto a este. Era puro Luis Buñuel. Acho que ele anda dirigindo meus sonhos.

Certa vez disse que sou um pouco atormentada em sonhos e de onde mais brotam as violências de mortes das histórias que escrevo. Tem aqueles que acham que é papo furado. Felizes são esses que não acreditam, pois não sabem o que é o terror de sonhos assim... porém, não abro mão desse fluxo de consciência constante que há em mim. Parece que a mente sempre agitada, permite que você viva enquanto dorme. E muitas vezes, a realidade e os sonhos muito próximos a ela se confundem por instantes. Sempre lidei com isso, mas ainda não me acostumei bem.


*

E um verdadeiro Natal, é também uma grande carnificina de porcos e perus. Para os apreciadores de lombinho... segue um trecho de como capturar um porco arredio para sua ceia.

“Edgar ordena que Pedro coloque o facão no chão e segure o animal. Pedro aproxima-se do porco, que escapole de suas mãos. “Não deixe ele fugir”, grita Edgar. “Ele se assustou com o facão”, Pedro retruca, enquanto corre atrás do porco. O animal debate-se desesperado, correndo angustiado, esbarra na mesa com a bacia de miúdos e joga tudo no chão. Um dos ganchos deixado sobre a mesa por Edgar cai sobre o animal e finca-se em sua rosada carne, enterrando-se numa de suas costelas. Ainda assim, o bicho consegue fugir pela cerca de arame farpado, ainda que se cortando, espreme-se e pouco antes de atravessar, o gancho prende-se na cerca, e os grunhidos de dor e angústia ficam cada vez mais alto. Com cuidado, Pedro tenta soltá-lo da cerca, o porco sente o calor de Pedro em seu cangote e torna-se mais arredio. Consegue se libertar da cerca, quando o gancho rompe sua carne e expõe uma costela suculenta. Tanto Edgar Wilson quanto Pedro, precisam pular a cerca de arame e invadir o quintal do vizinho. O porco corre em direção às galinhas que cacarejam esvoaçadas e Edgar Wilson detém-se quando uma delas lança-se em sua direção. Ele grita sacudindo os braços e pula de volta a cerca de arame que rasga suas calças. Pedro alcança o suíno que esperneia e o traz de volta, rindo-se de Edgar fugindo das galinhas.”


E para desejar Feliz Natal e Boas Festas.... deixo por conta do Jack, porque haveria de ser algo pesadelar.


The Nightmare Before Christmas.


Isto vem muito a calhar, vocês não acham?

Volto a escrever no blog a partir do dia 02 de janeiro.



*That´s all folks*



3 comentários:

Fred Di Giacomo disse...

Olá, tudo bem? Descobri seu blog pelo Google fazendo uma pesquisa sobre Bukowski e achei massa seu comentário sobre o filme Factótum. Fiz uma resenha longa sobre o "Misto Quente" do Buko no meu blog, quando tiver tempo passa lá: http://memoriasdeumperdedor.blogspot.com/2007/12/misto-quente-charles-bukowski.html
abrax

Dominique disse...

Olá, Ana Paula, vi uma reportagem sobre seu livro A Guerra dos Bastardos no programa Livro Aberto da Rede Minas e achei o máximo a história. Fora o trailer para livro que criou que achei uma ótima tirada de marketing. Mas bem que podia pegar esta idéia, pois há muito livro bacana que daria ótimos trailers.

Bom, passei aqui para dizer que seu blog é muito legal, e que provavelmente seus pesadelos são decorrentes do stress, comida e bebida destas festas de fim de ano.

Adorei o Jack de Natal e deixo aqui um abraço!

Até a vista!

ana paula maia disse...

oi Dominique! obrigada pela visita. Agora, vc precisa ler o livro né?

Fred, apareça quando quiser.


abraço a todos.
ana paula maia.