quarta-feira, setembro 13, 2006

Who need reasons when you've got heroin?

“Choose life. Choose a job. Choose a career. Choose a family, Choose a fucking big television, Choose washing machines, cars, compact disc players, and electrical tin openers. Choose good health, low cholesterol and dental insurance. Choose fixed-interest mortgage repayments. Choose a starter home. Choose your friends.I chose not to choose life: I chose something else. And the reasons? There are no reasons. Who need reasons when you've got heroin?”
[Do filme “Trainspotting”]

Bem, bem, bem, estava escarrapachada na poltrona e mirando o quadro na parede em frente. Nele, tem umas coisinhas. Eu mesmo escolhi cada imagem, imprimi e colei. Quase todas as imagens são capas de filmes. E entre O Vampiro de Dusseldorf e Metrópolis, do Fritz Lang, eu tenho uma do Transpotting, com esse mesmo discurso acima. É claro que não dá pra ler, mas eu já quase decorei. Então, quando tudo está silencioso, não tem nenhum blues ou rock´n´roll tocando aqui, eu me sento na poltrona e fico tentando entender a minha personalidade refletida na escolha minuciosa dos pequenos pôsteres que formam o quadro. Afinal, essa escolha deve ter uma lógica inconsciente, porém muito reveladora. Não me animei com o que minha ersonalidade pode representar através dessas escolhas.

Então vamos a seqüência de imagens:
Marilyn Monroe
Attack of the Crab Monsters
Plan 9 from other space
Blow up
Barbarella
The Clash, álbum London Calling
David Bowie
Tarantula, o filme
Mulher Maravilha (ilustração cor-de-rosa)
O Vampiro de Dusseldorf
Transpotting
Metrópolis
Esse obscuro objeto de desejo
Drugstore Cowboy
Mr. Blonde (Michael Madsen em Cães de Aluguel dizendo: ”Are you gonna bark all day, little doggie or you gonna bite?” )
E por fim…
Invasion the Body Snatchers (conhecido como Vampiros de almas)
Mastigando azeitonas pretas e tomando coca-cola, reflito mais um pouquinho. Volto a me sentar na poltrona, olho mais um pouco e penso que vampiros, junkies, caranguejos gigantes, bandidos desalmados, mulheres desafiantes, alienígenas e desejo reprimido é o que de alguma forma está no meu subconsciente e sem que eu perceba isso me influencia durante parte do meu dia. Se eu usasse heroína, eu poderia fazer a mesma pergunta do título: Who need reasons when you've got heroin? Bem, eu tenho azeitonas pretas e coca-cola, já parece ser algum vício.
Ah... para conhecer e comprar o meu romance, O HABITANTE DAS FALHAS SUBTERRÂNEAS, é só clicar neste link www.killing-traviscomprarhabitante.blogspot.com
*That´s all folks*

7 comentários:

Diogo Costa disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Diogo Costa disse...

Mandei um e-mail para você no killing.travis@yahoo.com.br.

E aqui, Cães de Alguel ladram.

London Calling e Aqualung saem da parede direto pro som. Os vizinhos não reclamam.

Abraço,

Diogo Costa.

Diogo Costa disse...

faltou o "u" em aluguel... rs
Duas horas da manhã, sono pesado.

Diogo Costa disse...

Esqueci de novo, agora outra coisa. Drogas-de-sonos.
Melhor ver o dito numa versão atualizada.

Abraço, e sem mais encher o saco e os posts.

Diogo.

Roberto Queiroz disse...

O seu post me lembra a capa do DVD de O Anti-herói Americano, com o ator Paul Giamatti sentado numa poltrona pensando no que ele iria criar na sua próxima história em quadrinhos. Parece coisa de maluco, não é? Mas escritor é assim mesmo: quer achar explicação pra tudo. Abraços do crítico da caverna cinematográfica.

Marcos Angeli disse...

Primeira vez q entro no seu blog e já dou de cara com um dos meus filmes favoritos Trainspotting.
Ótimos temas.
Até mais.

Ricardo disse...

Bom q alguém q escreve lembre de Metrópolis...

Ah, a tese deveria ser verdadeira, mas muita gente ligada ao meio literario falam basicamente de...
dinheiro... =)

A Internet e os jornais; o tempo e o poder