terça-feira, julho 03, 2007

Impregnados.

Já está chegando. Dia 06, sexta-feira estarei na Off Flip. Esta é a primeira vez que vou a Paraty. Sei que as ruas são de pedras, um horror para usar salto alto, sendo assim vou de tênis. Mas de terno. Alinhada.

Vou estar na mesa com a escritora Christiane Tassis, que chamo carinhosamente de Lôrão.

Veja a programação: http://flip2007.wordpress.com/a-off-flip-programacao/

Vamos falar de literatura e as influências do cinema. Eu tenho muita influência do cinema. Muitas lembranças pessoais que me influenciam. Lembranças de vida, não literárias. Tenho pouca lembrança literária, pois acho que o que permanece em mim torna-se não-ficcional. Misturo as lembranças, a ficção e o que gostaria de ter feito.

Às vezes sinto cobrança dos outros que gostariam que eu tivesse um discurso mais literário. Com menos referências da vida. Alguns podem denominar cultura pop, eu chamo de "referências de vida". Mas a cultura pop é qualquer coisa hoje em dia. Estou estudando Japonês, ou melhor, dando uma olhadela no idioma. Ter interesse por Japonês está diretamente ligado a cultura que nos chega. E esta cultura chega através dos mangás e filmes principalmente.

Estamos todos impregnados de influências populares, que se manifestam diante de nós a todo instante. Por isso defendo que a literatura deve ser feita antes de tudo por quem já invetigou certas situações ou assuntos dentro de si. O princípio das idéias. O que se quer dizer. Vejo a literatura do ponto de vista de quem escreve e não de quem analisa. Escrever é superar ou talvez suprimir tudo o que já foi lido, ouvido, assistido.

Gosto da força das palavras, porém gosto mais ainda quando essas palavras são usadas devidamente. Claramente. Quando as palavras dizem alguma coisa concreta. Existe aqueles que usam as palavras e esvaziam seu conteúdo, seu significado.
Percebo que existem os que escrevem pelas palavras e não pelo o que dizer. As palavras devem ser ferramentes. Quando não são embasadas por um juízo equilibrado, morrem de inanição.



*That´s all folks*

3 comentários:

Astier disse...

aninha,
parabéns para ti
por paraty
- desculpe
a infâmia
do trocadilho,
beijo
grande

Anônimo disse...

Vi você na off flip na última sexta. Entrei no blog e li os quatro primeiros capítulos de "Barbudos cretinos..." Gostei. Quando você continua a escrever o folhetim?
Cláudio-RJ
cscapuano@hotmail.com

ana paula maia disse...

Oi Cláudio! O folhetim deverá ser publicado. Ainda não sei. Sendo assim, o restante da história só poderá ser lida quando for publicada em livro.
Ainda não tenho uma posição definida quanto a isto.

abçs